terça-feira, 28 de fevereiro de 2012

3

Eu nunca me permiti ser mais eu de vez em quando

Helena nunca me deu moleza,pra dormir então sempre foi uma mala,chatinha,reclamona,sempre dormi sabendo que a qualquer momento poderia passar a madrugada toda acordada,sempre dormi com um frio na espinha...


Helena sempre foi muito dependente emocionalmente de mim,viciada em peito,obcecada no peito,só queria mamar mamar e mamar e eu só queria dar peito peito e peito,e tudo se resumia a isso ,um peito cheio.


Com o passar do tempo achei que as coisas fossem melhorar,e melhoraram sim,Helena já andava e já se comunicava,o que facilitava e muito a vida de uma mãe,ainda continuava agarrada no peito e ficou assim até 1 ano e 5 meses e eu que achava que o problema dessa dependência dela era o peito descobria que não era.


Eu tornei a Helena extremamente dependente de mim,eu nunca deleguei a Helena a ninguém e mesmo com a babá quando eu estava por perto era eu que comandava,nunca fui dormir a tarde e deixei a Helena por exemplo com a babá,se eu tinha que dormir ela ia junto,comecei a viver como se fossêmos extensão uma do outra,comecei a viver só em função da rotina dela.


E assim sem perceber eu dormia quando a Helena ia dormir,eu tomava banho com ela,eu comia com ela,e fazia tudo com ela,eu não fazia mais nada sozinha e tbm não pedia ajuda,eu não queria pedir,sabe aquele frase que a gente não precisa pedir ajuda que fulano que tem que ter iniciativa? então,tudo bla bla bla,se você quer ajuda peça! se você quer algo,seja clara em relação a sua vontade,não dá pra ninguém adivinhar.


Agora Helena esta com 2 anos e meio e eu ainda me vejo "escravinha" dela,lógico que num grau bem menor que antes,hoje ela esta realmente bem mais independente e parte dela mesma não querer minha companhia pra tudo,eu agora já consigo a deixar voar,se arriscar mais,de falar "vai lá","faz","tente" sem querer fazer por ela ou tentar por ela,mas só o tempo me mostrou isso,que o maior cansaço que eu sentia era por não deixa-la ser.


Eu nunca confiei a Helena a ninguém e ainda hoje sinto um vazio no estômago quando deixo ela sair sem a minha presença,minha imaginação é uma merda e aí se ela demora ou se não consigo falar,putz viajo na maionese e o medo me assombra,algo que tô tentando curar também,e anda sendo bom pra gente,ela precisa confiar em outras pessoas e eu também.


Com o nascimento de um filho a gente realmente se torna uma mãe mas não podemos esquecer jamais que continuamos uma mulher e que a gente tem que se permitir sermos nós mesmas de vez em quando,pelo menos de vez em quando.

3 comentários:

Thaty disse... [Kaka respondeu]

É, precisa ter uma "reprogramação" mental mesmo, pensar que os filhos não vão ficar com a gente pra sempre. E que nem está tão longe assim, daqui a pouco vão pra escola e a gente vai ficar sem saber 90% do que eles fazem por lá. Acho que isso foi o que eu mais senti com o Vítor...

Beijos
Tati

Daniela Castro disse... [Kaka respondeu]

Nem me fale...
Por um tempo fiquei relutando para não deixar Sophia passear na casa do pai. Mas um dia tive que ceder.
Afinal ele tb tem o direito.
bjos e sorte aí!

http://dani13sophia.blogspot.com

Anelize disse... [Kaka respondeu]

ACho que é por isso que gosto tanto do que vc escreve... Me identifico muito, demais mesmo...
Também é assim com a Malu. Agora com 2 ano e 2 meses q tive coragem do colocar ela pra dormir no quartinho dela e ela amou!! Mas ainda sinto meu quarto tão vazio sem ela....
a gente não consegue de desapegar, e nem sei se deve. Tbm não delego ela a ninguém, mas que faz falta as vezes eu lembrar de q sou um ser individual... isso faz...
A Malu tbm sempre acordou mto de madrugada e só dormia no meu peito, acho q isso que ajudou nessa dependência... Mas melhorou quando desmamou e agora que está no seu quarto eu vejo o quanto ela é segura e independente apesar de ser um grude... E a gente gosta não é??
Bjs
Ane