segunda-feira, 31 de outubro de 2011

14

Mãe de final de semana...

Ando com insônia,perdendo o sono,ando me sentindo angustiada,quase triste,porque? porque me dei conta que virei uma Mãe de final de semana...

Após o nascimento da Helena,eu nunca cogitei a hipótese de voltar a trabalhar e sempre convivi muito bem com isso,sem neuras,no dramas,eu voltei a trabalhar feliz por me sentir produtiva ,porque até então eu só produzia leite,me sentir de novo ativa,eu mesma,foi bom ,foi importante.

Só que com essa escolha,eu me tornei uma Mãe de fim de semana,porque eu já chego em casa as 20:00 hrs,Helena já brincou,comeu,tomou banho ,e só quer dormir,aí eu chego ela já esta mais pra monstrinha creque do que pra anjinho,ela já esta cansada,e só quer um chamego,aí eu fiquei sendo a mãe que dá um chamego e coloca pra dormir,e confesso que tem dias que eu bem gosto que ela durma bem rapidinho,é que eu tô tão cansada,tão esgotada,que com toda a minha sinceridade,eu tbm só quero descansar...

Aí no dia seguinte ela acorda ,linda,falante,e muito carinhosa,e eu tenho que ir trabalhar e será mais um dia que não verei as peraltices dela,será mais um dia que eu me sentirei um mãe de merda.

Eu só me sinto mãe de verdade da Helena aos sabados,domingos e feriados,quando sou dela 100% do meu tempo,e quando ela é só minha,é nesses dias que ficamos juntas,batemos "altos papos",passeamos,dormimos juntinhas,pertubamos a vida do Marido,e damos muito beijos um nos outros,é nesses dias que minha vidinha é mágica.

Ser Mãe de fim de semana é uma merda tbm porque a Helena fica um grude,as vezes só quer colinho,e quando ela relaxa e se acostuma com a minha presença já é domingo,e voltamos a estaca zero,e acaba que faço todas as vontades dela,e fica muito dificil dizer não,essa culpa existe viu? ela é real.

Olho umas fotinhas da Helena quando voltei a trabalhar e jésuiiiis ,como tive coragem de deixar a  minha potoquita bebezica e voltar a trabalhar? Louco demais! insano demais! se eu faria novamente? não,não faria,provavelmente largaria o emprego,e cuidaria dela.

Ser Mãe de fim de semana tbm me tirou muitas coisas, ela tirou minha memória,porque MEU DEUS,eu nem lembro mais qual foi a primeira palavra da Helena,porque provavelmente ela a deu numa terça-feira longe de mim,tbm não vi a primeira vez que ela sentou no penico,foi numa quarta,e quando ela comeu sozinha? não,eu não vi,foi numa quinta...ai eu tenho que ouvir a baba me narrar tudo que ela fez,essa ai que ficou com as minhas memórias e lembranças,ela lembra de tudo que Helena já fez,eu finjo que lembro,porque não sou eu que vou sair por baixo perante a minha baba né? 

Mais o pior de tudo,nem é a memória ,ou o grude que Leleca fica nos finde,o pior é não ver como ela esta crescendo,eu olho pra ela e vejo que eu não vi ela crescer,eu perdi os seus dois anos,e me sinto mais merda ainda,porque nada,nada vale a pena longe dela,Ser Mãe de final de semana não vale a pena,pelo menos no meu caso.

E fico passada quando vejo mães que além de terem babás de segunda a sexta,elas ainda tem babas folguistas para os fim de semana, elas devem ter perdido muita coisa né? triste isso eu acho,porque elas morrem  se tiverem que cuidar elas mesmas dos filhos,e eu reclamando que não cuido da minha.

Tô em crise.

14 comentários:

Marcia Pergameni disse... [Kaka respondeu]

Eu compreendo vc flor. A Ceci acorda e pergunta: vc vai tabaiá hj mamãe? qdo eu respondo que não ela fica toda feliz e qdo respondo que sim ela diz: mas eu vou fica tiste....

e a mamãe aqui que só curte mesmo aos fins de semana fica com o coração na mão, porque tenho que ouvir minha mãe narrar tudo de novo que acontece com ela e com o Antonio tb....

Estamos pra nos mudar e isso vai trazer mudanças em casa tb. Minha mãe não estará perto pra cuidar deles. Acho que vou me dedicar a eles. Um pouco de aperto não vai fazer mal.

Bjok

Juliana Ferreira / Bom demais ser mãe disse... [Kaka respondeu]

Lendo seu post me fez lembrar que já passei por este dilema quando minha filha ainda estava com 5 meses...aguentei apenas 1 mês e parei de trabalhar. Foi uma das melhores decisões que já tomei na minha vida! Existem coisas que não tem preço...faça o que seu coração está sentindo...tudo tem um tempo certo e veja se esse seja tempo de aproveitar mais perto dela. Se vc tem condições de parar de trabalhar e ficar com sua filha, aproveite e seja feliz!

Juliana Ferreira / Bom demais ser mãe disse... [Kaka respondeu]

Lendo seu post me fez lembrar que já passei por este dilema quando minha filha ainda estava com 5 meses...aguentei apenas 1 mês e parei de trabalhar. Foi uma das melhores decisões que já tomei na minha vida! Existem coisas que não tem preço...faça o que seu coração está sentindo...tudo tem um tempo certo e veja se esse seja tempo de aproveitar mais perto dela. Se vc tem condições de parar de trabalhar e ficar com sua filha, aproveite e seja feliz!

Rose Misceno disse... [Kaka respondeu]

Lindo, lindo, lindo seu post-depoimento-declaração de amor...
Eu nuna trabalhei os dois períodos, só parte da manhã! Ano passado, Luna com 1 ano, precisei dá um pontapé num prpjeto novo na escola que trabalho, 5 manhãs e mais 3 tardes trabalhando e ainda 3 noites estudando!!
Sofri demais nessa época, Luna ficou aos cuidados do meu pai (as vovós são falecidas), não tinha coragem de deixá-la com babá!
Me sentia tão mal, resultado, esse ano só trabalho na parte da manhã e ela estuda nesse horário que estou trabalhando...
E preciso dizer ainda que o paizão, professor universitário, parou de dar aula a noite pra também curtir e cuidar da filhota!!A grana ficou curta, é verdade, mas a felicidade é enorme!

Beijão.

Débora Nunes disse... [Kaka respondeu]

Kaka que dificil heim?
Quando minha licença maternidade acabou trabalhei 20 dias e pedi para sair... Não aguentei ficar longe da Clara... E não me arrependo sabe? Felizmente tive essa oportunidade...

Acho horrivel essa mãe que preferem deixar os filhos com babás do que cuidarem elas mesmas! Claro que as vezes é necessario ter uma babá, mas acho que quando trabalhamos! Mas tem aquelas que nem sequer trabalham e deixem as crainças com babãs!!! Não sabem o que estão perdendo!!!

Beijos...

Dani Mãe da Sophia... BH,MG disse... [Kaka respondeu]

Ah se eu tivesse a opção de não trabalhar... Mas sou mãe solteira e o pai pouco contribui. Assim me sinto na obrigação de sair e lutar pelo leitinho da minha pequetita.
Minha mãe que fica com ela e meu pai passou a pagar uma babá para que a mamãe não fique tão cansada.
A culpa existe. A falta de estar junto é gigante. A saudade da licença maternidade é constante. E conto os dias e as horas para cada fim de semana.
Estou amando o horário de verão pois chego em casa as 18hs e ainda temos um restinho de dia ensolarado para aproveitar =D

- Futura mãmã ! disse... [Kaka respondeu]

Rs que post com muita emoçao e sentimento ne..E dificil isso tudo para si ne... EU entendo...acho que toda agente consegue entender um pouco de como voce se sente ! =/
A culpa existe sim..mas por vezes e msmo necessario...quando tem que se trblhr, para dar o que eles querem e precisam, alem de carinho e amor ... Mas aproveite sempre que possa da melhor forma e maneira..

Me visite e comente...se gostar torne-se seguidora..

Beijinho *.*

Sophia Pavão de Abreu da Silva disse... [Kaka respondeu]

Eu sei bem o que vc esta sentindo,pois todos os dias antes de sair de casa eu penso:"Nossa como vc esta crescebdo filhota e eu não vejo suas sapequices do dia,da semana...e digo para mim mesm que hj será o último dia de trabalho,vou pedir demissão..." mas fico numa dúvida imensa no coração,medo que falte a ela algum bem material mas muitas pessoas me dizem que o que ela mais precisa é o meu amor a minha cia.
Tb tenho me sentido mãe de final de semana...quando chego em casa a noite estou esgotada mas respiro fundo e tento tirar o máximo de proveito mas não é a mesma coisa.
Final de semana Sophia não aceita ninguém só que ficar comigo,colo o tempo todo e na segunda ela fica tristonha que só (segundo minha mãe)e nesses 5 meses que voltei a trabalhar já sinto que perdi tanto...
Licença maternidade deveria ser de 5 ANOS!

Beijão,

Karen mãe da Sophia

Loreta disse... [Kaka respondeu]

Oieee,

Flor, não fique assim!! Ás vezes a gente tem que abrir mão de algumas coisas em pro de outras, sei que neste caso a coisa que está abrindo mão é o crescimento da pequena e isto não é fácil mas, se te machuca, considere o que pode ser feito para melhorar isto!
Se não tiver jeito de voltar a ficar com a pequena, não esquente tanto a cabeça, tenha certeza que ela ficará bem e que voce vai ter que aprender a superar isso!
É, eu sei, mãe tá sempre tendo que engolir o choro, levantar a cabeça e fingir que tá tudo bem, fazer o que, ninguem disse que seria fácil, né??

Bjooo!

Loreta#amigacomenta;)
@bagagemdemae

Meu dia-a-dia de mãe disse... [Kaka respondeu]

Nossa como é complicado isso né, fico o dia todo longe deles e quando chegamos em casa, tudo que eles querem é minha atenção que as vezes até me estresso e depois fico cheia de culpa, é muita pena perder tanta coisa mais no meu caso também será muito dificil ficar sem trabalhar então vou dosando,e tentando curtir o máximo os momentos que passamos juntos.
Entendo completamente seu sofrimento.

Bjos

Michelle Imilio
#amigacomenta

Ana Karina disse... [Kaka respondeu]

Olá!
Adorei todo o relato, apesar de ser um relato meio "em crise", como mesma escrevesse no fim. Realmente é uma escolha (ou não) muito difícil. Nesse momento eu também penso às vezes que tenho que voltar à ativa. Mas também sei que quero muito ficar com a minha Helena. No meu caso, trabalho com fotografia, então posso aceitar ou não os pedidos de orçamento que me são feitos. Eu me daria folga pelo resto de 2011 de certeza. Mas já tenho alguns projetos engatilhados ainda pra esse ano... Enfim. Tenho certeza que mesmo aos fins de semana tu és a melhor mãe do mundo pra ela. Fica tranquila.
Beijos,
#amigacomenta
http://amorfraldasemamadeiras.blogspot.com

Thaty disse... [Kaka respondeu]

Acho que posso acrescentar pouco ao que você disse e o que já foi comentado. Mas já tive das duas experiências: ser mãe full time e ser mãe que trabalha. E optei por ser mãe que trabalha. Não consigo ficar o tempo inteiro em casa, mesmo que tenha uma babá pra ajudar. Me sinto inútil, o trabalho de casa nunca rende, a gente faz, faz, faz e parece que nada foi feito. Sabe qdo o marido entra e pergunta: e aí, o que vc fez hoje? Dá vontade de matar. Eu sinto falta de ter conversas adultas e não de passar o dia assistindo programas infantis. Não me sinto mãe de final de semana, sabe? Me sinto como uma mãe que tem ajuda para criar os filhos. Eu que arrumo todas as coisas pras crianças irem para a escola, eu que sei o dia em que fazem cada uma das atividades, eu que tenho que resolver os problemas em que eles se metem, ensinar o que é certo e é errado. Porque não é a escola e nem a babá que ensina moral e ética, somos nós, os pais. Nossa, poderia falar tanto aqui que faria um segundo post. Aliás, até já fiz um post falando sobre isso.

Talvez fosse bom pra vc fazer um teste, ficar em casa com ela por um tempo. Programe-se para enxugar as contas por um tempo, apertar os cintos, mas curtir sua pequena!

Beijos
Tati
#amigacomenta

Sofia disse... [Kaka respondeu]

Kaká:
Muito profunda sua crise. Acho que muitas de nós já passamos por isso.
Quando meu filho tinha 2 anos, eu trabalhava muito também. Saia às 7h, voltava às 18 e depois ia para a faculdade. Ele deixou de querer meu colo, deixou de me ter como referência. Nos finais de semana, eu precisava estudar, corrigir provas e trabalhos. Aos poucos, ele se afastou de mim, principalmente, porque eu não conseguia oferecer um tempo com qualidade - como a Glau disse hoje lá na Rede Mulher e Mãe.
Eu fiquei doente e mudei de vida. Decidi parar de trabalhar. Hoje, 2 anos depois, pretendo voltar, mas de um modo totalmente diferente.
A gente tem que aprender a medida - impossível - de realizar a si mesma e de fazer os filhos felizes...
Abraço, força,
Sofia
#amigacomenta

Monika Lovera disse... [Kaka respondeu]

Eu moro em uma cidade que a maioria das oportunidades de trabalho é para de domingo á domingo. Em shoppings ou lojas de cidade turística parece que nada para. a grana aqui tb tá curta, mas penso muito no que iria perder da pequena se fosse trabalhar. o que to pensando é em terminar meu curso em uma faculdade semi presencial. Por enquanto decidi estar presente na evolução da minha pequena.